Orange Zone: Testamos O Treino HIIT Que é A comoção Do Momento

Orange Zone: Testamos O Treino HIIT Que é A emoção Do Instante


Uma espécie de aula funcional em grupo ou um enorme desafio de superação… É penoso definir o tal treino na “orange zone”, que experimentei pouco tempo atrás em uma academia de São Paulo. Acontecimento é que ele livra do tédio quem sente pavor de musculação e incentiva até as pessoas menos competitivas a quererem a toda a hora pouco mais. Confesso, necessita de certa bravura pra entrar na sala principlamente reservada pra modalidade. Bem como nos Estados unidos, onde o método virou febre, neste local o lugar também possui uma iluminação toda alaranjada que parece alertar: zona de perigo, passagem sem volta.


No mínimo, eu não estava sozinha. Carreguei comigo nossa redatora-chefe, a Ju, que estava louca pra dominar a novidade. O episódio fica cada vez mais próximo ao de um seriado de ficção científica. Dados como peso, idade e gênero são digitados em um micro computador e sincronizados com um frequencímetro que recebemos. Logo noto que nosso nome aparece em duas televisões pregadas em paredes opostas. Abaixo de qualquer um, um círculo avisa em tempo real nossos batimentos cardíacos (por enquanto, está verde, o que significa entre 61 e 70% da regularidade cardíaca máxima, ou FCmáx).




Wooow, todo mundo vai ver nossa performance? Até por isso, sempre havia malhado de modo exaustiva, porém sem mensurar quão efetivo tinha sido meu treino - nunca me dei bem com os pequenos visores repletos de infos dos relógios esportivos. Estava empolgada. Pra mim, era a chance de conquistar ver de perto meus batimentos e (ainda mais relevante) ajustar o ritmo dos exercícios de forma instantâneo: bastava continuar de olho em cores da Televisão e ampliar ou restringir a determinação, se fundamental. Já no aquecimento, a turma - em torno de 15 pessoas - foi dividida em três grupos: esteira, remo e exercícios funcionais, em que eu e a Ju começamos. Pretendo ver todo mundo no laranja! Juliana Hitomi, da academia Cia Athlética.


Numa terceira televisão, vídeos ensinavam a sequência que teríamos de reproduzir: flexões no TRX, agachamentos com halter e abdominais - todos com alternativas de adaptação para quem tivesse menos preparo físico. A professora também demonstrava um a um. Percebi que podia ir além, uma vez que não passava do amarelo (de 71 a oitenta e três por cento). Como a carga prontamente estava pesada, decidi acelerar.


Por ser um treino inteiramente personalizado, qualquer um controla a própria intensidade. A Ju, tais como, apesar de fazer os movimentos em uma velocidade um tanto pequeno que a minha, chegou à cor vermelha (acima de 92 por cento) diversas vezes - e queimou cem calorias a mais que eu. Vantagem para que pessoas preferem se passar ao invés competir com os outros.


EPISÓDIO dois: REMA, CORRE, PULA, VOA! A professora havia explicado que a aula poderá ter 2 privilégios extras (e também derreter as gordurinhas): aprimorar a experiência cardiovascular ou a força. Naquele dia, as sequências dos aparelhos ergométricos seriam usadas em prol dos músculos. Adotei a mesma estratégia dos exercícios funcionais; quando meu nome ficava amarelo, acelerava os braços pra vir ao laranja. Ou melhor, as pernas, que têm papel fundamental na modalidade (até saí com os adutores penosos!). Pra fechar a primeira volta (de um total de 3), fomos para a esteira, onde uma tabela mostrava 3 níveis de empenho que podiam variar entre caminhada, trote e corrida.


Cada pace combinava com uma inclinação contrário. Se você preferisse andar, a elevação seria bem superior, chegando a até quinze por cento. A todo o momento de olho na televisão, reduzi a velocidade no momento em que meu nome ficou vermelho, por causa de ainda faltavam 40 minutos de aula. EPISÓDIO Final: DEU MATCH! Após atravessar três vezes por cada estação, realizando a todo o momento sequências e exercícios diferentes, ainda sobraram 5 minutos pra abdominais e pranchas. Agora havia esvaziado toda a garrafinha de água e encharcado a toalha de rosto. Cumpri o objetivo da aula de permanecer de 12 a 20 minutos no laranja (foram 18 dessa maneira) e mandei pro espaço 525 calorias.


Além disso, ela não apenas socorro a cortar o peso, porém assim como limpa e desintoxica o seu corpo e se intensifica o teu sistema imunológico. Neste local estão outras ideias de menu do regime da dieta de maçã de cinco dias. Mesmo que seja uma forma eficaz de perder peso, é aconselhável complementá-la com alguns exercícios moderados. Leia assim como: “Dieta da Maçã: Privilégios e Contra-Indicações“. Café da manhã:Consumir maçãs inteiras, dois ou 3. Se você quiser, podes ingerir outras nozes. Beba assim como um copo de iogurte natural com aveia e morangos.


Almoço:Prepare uma salada descomplicado com verduras e maçãs pela maior proporção. Você pode decorar tua salada com muitas ervas de sua seleção. Bem como pode complementar sua salada com um ovos cozidos no topo. Além da salada, coma uma xícara de arroz integral e 1 filé de frango grelhado. Jantar:Consuma dois ou 3 maçãs médias inteiras. Caso sinta fome, tome um copo de leite desnatado sem adoçante.


Café da manhã:Você pode bater no liquidificador um banana, um/dois copo de leite desnatado e 2 ou 3 maçãs inteiras picadas. Almoço:Outra vez a mesma proporção de arroz integral, no entanto dessa vez com maçãs cozidas. Você poderá cozinhar as maçãs em água quente e juntar um pouco de tempero conforme a sua preferência de sabor, mas impossibilite o sal. Coma juntamente com uma salada de legumes e verduras. Jantar:O mesmo que no almoço, arroz integral usando o mínimo de sal, com bastante alho, cebola e outros temperos naturais. Café da manhã:Dois maçãs inteiras, acompanhadas por uma xícara de queijo de nanico teor de gordura, como o queijo cottage. Coma bem como uma xícara de mingau de aveia com leite desnatado e sem açúcar. Almoço:Salada de maçã, com ovos cozidos, verduras e legumes.



Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *